Pesquisar este blog

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A Parábola do Coração Paterno de Deus

0 comentários
Semana passada o Ministério Livres Para Adorar ministrou no Culto Fé da Igreja Batista da Lagoinha, em BH [Assim como eu, vocês podem assistir pela Rede Super, todas as terças às 19h30min]. Nessa noite Juliano Son, vocalista do ministério, trouxe uma linda palavra, uma análise aprofundada sobre a parábola do Filho Pródigo ou, como ele prefere chamar, a parábola do Coração Paterno de Deus.
Eu anotei algumas conclusões e coisas importantes que absorvi através dessa palavra e vou dividir com vocês.


► Antes de entendermos a parábola, precisamos entender o que acontecia naquele momento:

Publicanos e pecadores se achegaram a Jesus para ouvi-lo falar.
Como podemos observar, os religiosos da época acreditavam e apresentavam um Deus severo e pouco acessível e, por isso, acreditavam que Jesus cometia blasfêmia ao  apresentar Deus como acessível a todos, inclusive aos pecadores.
Para mostrar essa essência acolhedora de Deus, Jesus conta 3 parábolas: A da Ovelha Perdida, a da Moeda Perdida [Lucas 15:1-10] e a do Filho Pródigo.

→ A primeira coisa que Jesus faz ao contar a parábola é mostrar o porquê de Deus nos amar e perdoar: Ele é nosso Pai.

• Os líderes religiosos da época consideravam blasfêmia se relacionar tão intimamente com Deus a ponto de chamá-lo de Pai, por isso Jesus era sutil e discreto ao falar de Deus enquanto Pai, já que as pessoas não estavam acostumadas com isso.
Também por esse motivo, em duas ocasiões, o próprio Deus faz questão de dizer sobre Jesus: “Este é o meu filho amado”.
Observamos também que no Antigo Testamento Deus revela apenas sua essência e sua identidade [ Pai ] é Jesus quem revela, no Novo Testamento.

→ Logo após revelar Deus como Pai, Jesus revela como Ele é Pai. Deus respeita a nossa liberdade a tal ponto que nos permite ir contra Ele e ferir Seu coração paterno. Ele nunca tira nossa liberdade, pois em meio a ela aprendemos mais sobre Ele e sobre nós mesmos.

• Toda desgraça que acontece com o homem é um ato de graça, pois o leva a lembrar de Deus, onde encontra segunda chance.

→ O filho volta pra casa e resolve fazer três coisas para obter o perdão do pai:
*Confessar seus pecados;
*Reconhecer as consequências de seu erro;
*Aceitar que a justiça fosse aplicada em sua vida.

→ A partir do Versículo 20, Jesus começa a ressaltar uma característica de Deus que, até então, ninguém havia imaginado: A graça, a misericórdia de Deus.


► Para finalizar, algumas coisas importantes:
*Deus declara Seu amor por nós não só para nos fazer sentir bem por sermos amados, mas também para nos convidar a amá-Lo.
*Por mais distante que possamos estar de Deus, Ele continua a se preocupar conosco e nos vigiar, Ele permanece sendo dono de toda situação.
*Deus deseja que encontremos nEle, em Seu coração, nosso maior prazer.
*Por mais que o homem deixe de ser filho, Deus nunca deixa de ser Pai.


Deus os Abençoe
♥Fiquem com Papai♥